Comportamento do Consumidor - Como a Geração Millennial Está Mudando o Consumo

Comportamento do Consumidor - Como a Geração Millennial Está Mudando o Consumo

Comportamento do Consumidor - Como a Geração Millennial Está Mudando o Consumo

A geração Millennial está mudando a maneira como o mercado de eventos atua no mundo. É o que diz o empreendedor Pablo Quistapache, fundador da startup Eventioz, que desenvolve um software para a realização de eventos online. Ele falou sobre o assunto nesta terça-feira (15/3) durante um painel do Congresso Global de Empreendedorismo 2016, em Medellin, na Colômbia.
A sensação de “pertencer” de um grupo faz parte das necessidades básicas de qualquer ser humano. Mas a geração dos Millenials (formada por quem nasceu entre os anos 1980 e 1990) está mudando a maneira como as pessoas participam de qualquer grupo até então. Veja abaixo três aspectos apontados por Quistapache:


1. Menos “ter” e mais “viver”
Até pouco tempo, a maneira de um indivíduo se sentir incluído na sociedade era a partir da aquisição de coisas – carros, casas, roupas. “Quanto mais ele tinha, melhor”, disse Quistapache. Agora, não mais.
O foco está em viver o momento. “É uma geração que está mudando a maneira de viver a vida, que busca intensidade naquilo que faz.” Prova disso é um dado que aponta que o consumo de música (entre CDs e downloads) caiu US$ 17 por pessoa, de 2008 a 2014. Já o valor gasto com a compra de ingressos para shows ao vivo, cresceu US$ 19 no mesmo período.


2. A tecnologia como um meio
Segundo Quistapache, a tecnologia, principalmente por meio das redes sociais, acaba criando a maneira como a nova geração desenvolve suas relações e como se expressa. “Cada vez que alguém compartilha algo, o seu capital social sobe.” O capital social é o valor que a pessoa tem dentro de um grupo específico.
Autógrafos, por exemplo, são coisas do passado diante de um mundo no qual milhares de selfies são postadas a cada segundo. “Existe demonstração mais forte de credibilidade, identidade, de valores, do que um indivíduo que posta uma selfie com sua cantora favorita?”.
De acordo com o empreendedor, 1 em cada 3 pessoas compartilham fotos de um show no momento em que ele está acontecendo. Apenas 1 em cada 4 o faz depois do evento, só que seu capital social talvez não seja tão valioso uma vez muitas pessoas já postaram coisas sobre aquele mesmo evento, enquanto ele ainda acontecia.


3. “FOMO”
A sigla significa Fear of Missing Out, ou seja, a apreensão que uma pessoa sente ao perceber que está perdendo algo muito importante em seu grupo. “Esse motor é muito forte e retroalimenta a necessidade que essa geração tem por experiências”, diz. Um em cada dois Millenials afirmam sofrer de FOMO.
Quando o Coachella, um dos maiores festivais de música no mundo, começou a exibir suas apresentações online, muitas pessoas disseram que a organização estava canibalizando a venda de ingressos, uma vez que muita gente poderia desistir de ir ao show para ver as apresentações online. Mas, na verdade, desde que disponibilizou o streaming online, o festival viu o número de vendas de ingressos crescer ininterruptamente. “É a necessidade de mostrar o que se sente e o que move esse público.”
Fonte: http://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2016/03/como-geracao-millennial-esta-mudando-o-consumo.html?trk=pulse-det-art_view_ext

Editado em: 29.05.2016